Pular para o conteúdo principal

ele é

ontem de noite eu fui visitar meu avô no hospital, no Mario Covas em Hortolândia...
meu avô, pai da minha mãe...
fomos eu e a Gui, ficamos das 20h as 20h30, horário de visita porque ele esta em coma induzido

é...
a vida de adulta não fica mais fácil

bom, eu fui visitar meu avô e eu segurei a mão dele por 20 minutos, em vida eu não sei de um dia que segurei a mão dele por tanto tempo, tinha quando eu era pequena que ele deixava eu subir a rua com ele para ir no mercado que brincávamos de "teje preso e teje solto" (as vezes em casa também) e com isso ele me segurava pelo braço e eu tentava fazer e errava sempre, mas era o contato físico que nós tínhamos, nunca fui de pedir bença e ele nunca foi de beijos e abraços
acabou que depois de maior eu não tinha nenhum contato físico com ele e ontem eu fiquei 20 minutos segurando a mão dele, 20 minutos que minha mãe falou que demorariam a passar mas voaram, acho que eu poderia passar um período ali, mas não seria saudável porque meus olhos choram sozinhos (nunca consegui controlar minha lágrimas, elas são fortes e muitas), mas ele sabe disso e tenho certeza que nem se importou, eu sou a mais forte e mais mole das netas dele, forte só porque sou a mais velha, que isso fique claro. É a força da idade mesmo.

meu vô esta surdo, se quando ele estava andando por ai ele não me ouvia imagina agora em coma, ele sempre falou que gente de escritório igual eu não sabe falar com gente velha não, porque quando achamos que estamos gritando muito, ainda estamos sussurrando para eles rs, meu vô era muito engraçado, ele era ótimo... minha vó sempre quis ser engraçada como ele, mas acho que era uma gracinha que nasceu com ele, é um humor muito discreto e as vezes mentiroso (o humor dele me lembra o Jô Soares, mas sem o estudo).
Falando em estudo, lembro também de quando eu era pequena que eu sempre esquecia os gibis do Chico Bento na minha vó porque era o que meu vô mais gostava, ele adora o Chico Bento e rabiscava em volta nas margens, aquela letra de primário (igual a minha),as vezes eu ficava brava, mas minha mãe me explicou que ele aprendeu a ler e escrever sozinho e algumas letras ele gostava de treinar, mas as vezes era porque não tinha bloquinho perto para anotar os telefones mesmo.

eu não tenho um milhão de histórias com ele, acho q a Gui tem muito mais que eu (minha irmã faz história) mas cada lembrança dele é uma coisinha boa
ele rindo de mim, me dando R$ 5,00 para ir no passeio da escola porque minha mãe não tinha o dinheiro ali, ele cutucando o Vinícius para brincar, ele me dando o dinheiro porque eu precisava de uma cozinha bonitinha, ele brigando comigo porque não precisava ter sido o mais barato de todos...
eu não sei se vai ficar claro o que eu quero dizer mas meu vô era o cara dos bastidores, ele ia resolvendo tudo sem sequer estar ali

ah rapaz, como eu amo esse cara
como eu admiro
como eu peço para Deus (Jeová) cuidar bem dos caminhos que forem
para mim ele só foi ótimo

agora vou parar porque já estou chorando

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

não é fácil...

e "se fosse fácil que graça teria?"... eu cresci ouvindo meu pai falar isso sempre que eu tinha um probleminha, sempre que alguma coisa dava errado
meu pai está certo eu acho
valorizamos mais quando é difícil, quando sofremos. Não por masoquismo, mas porque somos humanos e quando vem muito fácil achamos que não vale a pena... ah esses humanos

mas tá difícil...
hoje estou feliz, estou feliz agora na verdade, nesse momento estou ouvindo Skank e "dançando" na minha mesa no escritório (não me julguem por estar escrevendo enquanto trabalho, os arquivos estão carregando na nuvem), o dia esta lindo e hoje tem evento de noite com pessoas que eu amo
um evento que acho q minha mãe e meu pai não irão porque esta muito difícil e eu não posso fazer nada quanto a isso, na verdade o que eu posso fazer é ir no evento para eles terem certeza que eu estou bem
estou tão preocupada com o futuro quanto eles, mas estou bem e feliz

do que estou falando?
eu explico
em março do ano passado…

ele era...

vou fazer esse post mais por uma questão de compromisso meu comigo mesma porque ele foi há 10 dias
é.... 10 dias...
meu avô foi incrível na minha vida, para dizer o mínimo, eu sinceramente desde domingo retrasado quando ele faleceu me sinto vazia, por quê? Não tenho a menor ideia visto que nós não eramos próximos desde que me mudei do fundo da casa dele, mas depois que ele morreu... ele não está mais lá para aprovar minhas atitudes e decisões
claro que isso pode ser um sentimento que eu me condicionei, mas é o que eu sinto, a batalha para o "sucesso" parece que perdeu uma motivação muito grande
não vai mais haver aquela conversa de que meu vô falou que eu devia fazer isso, ele disse que isso foi uma boa atitude, ou que minha nossa ele não esperava isso mas eu ainda posso me esforçar para consertar, para ele ver que está tudo sob controle

ah... nada nunca esteve sob controle

eu de verdade queria saber o que ele achava de mim
eu sei o que ele pensava, ou dizia pensar de alguma…